Sistema Fecomercio Sesc Senac IPDC

Decisão judicial suspende exigência de cobrança de alvará

images (1)

Decisão judicial suspende exigência de cobrança de alvará

Mais uma batalha vencida contra as mudanças aplicadas na forma de cobrança dos alvarás: uma decisão judicial, da juíza Ana Paula Feitosa Oliveira, da 10ª Vara da Fazenda Pública, suspendeu a exigibilidade da cobrança do alvará sem necessidade de depósito. As alterações na taxa cobrada em Fortaleza ocorreram a partir da aprovação da Lei Complementar 241/2017, aprovada na Câmara dos Vereadores, no ano passado.

O consultor tributário da Fecomércio-CE, Hamilton Sobreira, explica que essa decisão da 10ª Vara da Fazenda Pública se refere especificamente a uma empresa, que impetrou um mandado de segurança com pedido de liminar com o apoio da Fecomércio Ceará. Apesar de não beneficiar todas as empresas em Fortaleza, a decisão da juíza Ana Paula Feitosa tem sua importância, de acordo com o advogado. Embora aplicada apenas a parte envolvida no processo, o consultor jurídico da Fecomércio destaca que a decisão abre um importante precedente, reforçando a tese da inconstitucionalidade e ilegalidade presente na Lei Complementar nº241/2017, que alterou o Código Tributário do Município de Fortaleza.

Além disso, ele pontua que foi a primeira decisão a enfrentar o mérito em sede de decisão liminar em Mandado de Segurança, sem necessidade de uma garantia em juízo, ou seja, sem o depósito prévio do valor do alvará. A decisão da juíza prevê ainda multa diária de R$ 1 mil caso haja descumprimento por parte da autoridade coatora, limitada ao teto de R$ 10 mil.

“Essa decisão sinaliza um importante passo para a aplicação do respeito aos princípios constitucionais e limitações ao poder de tributar, bem como a proteção aos micro e pequenos empreendedores. O que se espera é que mais decisões possam surgir seguindo essa vertente que deverá servir de paradigma para as demais”, observou.

Mudanças da Lei Complementar 241/2017
A partir da mudança no Código Tributário Municipal a cobrança da taxa de licenciamento passou a ser anual. A taxa de cobrança para os estabelecimentos com área construída de até 40m², é de R$ 230,00, e para aqueles com área superior a 40m², o valor será de R$ 230,00, acrescido de R$ 6,50 por cada metro quadrado excedente, até o limite de R$ 5 mil para as empresas com até 30 mil metros quadrados, e limite de R$ 15 mil para as que possuem mais de 30 mil metros quadrados.

Voltar