Sistema Fecomercio Sesc Senac IPDC

Há 72 anos, Fecomércio no Ceará colabora com transformações econômicas e sociais

Há 72 anos, Fecomércio no Ceará colabora com transformações econômicas e sociais

Sistema Fecomércio cria novos serviços e comemora 72 anos de fundação com a campanha “Porque transformar é a nossa essência”.

O Sistema Fecomércio chega ao 72° ano de atuação no Estado. Ao longo desses anos, seu propósito de apoiar e defender o segmento de comércio de bens, serviços e turismo, alavancou profundas transformações econômicas, sociais, culturais e educacionais com ações que chegaram a milhares de pessoas em todo o Estado.

O setor de comércio e serviços gera mais de 760 mil empregos e participa em mais de 75% do PIB do Ceará. Em constante transformação para melhorar o desempenho e garantir a sustentabilidade das empresas, vem criando soluções voltadas aos empreendedores locais. O Cartão do Empresário, lançado há três anos, auxilia na redução de custos das empresas, oferecendo descontos em telefonia móvel, planos de saúde, automóveis, além de facilitar o acesso a serviços e produtos diferenciados.

O Fecomércio Bank é a mais recente inovação para apoiar as empresas cearenses e apontar alternativas voltadas à retomada econômica após a pandemia. Anunciado em maio, o banco digital foi pensado para facilitar o crédito, reduzir tarifas e aumentar o faturamento dos comerciantes. Com mais de 700 serviços exclusivos, as soluções tecnológicas vão permitir segurança e confiança necessárias para agilizar os negócios.

ferramenta de market place “Tá Fácil Comprar” vai organizar a estrutura de uma loja virtual, onde o empresário cadastra e vende seus produtos e serviços. A plataforma está sendo desenvolvida e poderá ser acessada via site ou aplicativo.

“O Sistema Fecomércio está transformando suas práticas, atividades e atento às novas demandas. Nunca houve tanta necessidade de as instituições mudarem suas formas de fazer. Mas a nossa essência será a mesma,” ressalta Maurício Filizola, presidente do Sistema Fecomércio Ceará.

As quatro instituições que formam o Sistema Fecomércio Ceará (Federação, Sesc, Senac e IPDC) juntas têm alcance em todos os 180 municípios. Atualmente, existem 35 unidades físicas Sesc e Senac e 10 unidades móveis que levam serviços de Lazer, Cultura, Assistência, Educação e Saúde à população.

Hoje a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará representa mais de 150 mil empresas organizadas em 34 sindicatos patronais. Enquanto instituição representativa, orienta, coordena, defende e representa legalmente as categorias econômicas do comércio de bens, serviços e turismo.

O Serviço Social do Comércio, Sesc Ceará, atendeu, no último ano (2019), mais de 400 mil pessoas em projetos de Lazer, Cultura, Promoção Social, Educação e Saúde, voltados à qualidade de vida dos trabalhadores do Comércio e suas famílias. Destaque para os grandes projetos culturais, como as Mostras Sesc de Culturas, o Encontro Povos do Mar, os Museus Orgânicos e ações de lazer como CicloSesc, Dia do Desafio, entre outros. O Programa Mesa Brasil Sesc Ceará tem distribuído, todos os anos, cerca de 3 milhões de quilos de alimentos a instituições sociais em todo o Estado.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, Senac Ceará, torna o ensino profissionalizante uma alternativa para os trabalhadores cearenses. O balanço realizado no ano passado mostrou que, nas doze unidades do Senac, estão matriculados mais de 120 mil alunos em fase de capacitação para desenvolver serviços com qualidade e empreender.

O Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC), fundado em 1998, já realizou 191 mapeamentos e tornou-se referência para as projeções do mercado local.

Para celebrar a data de fundação, oficializada no ano de 1948, e mostrar a relevância histórica de seus serviços, a instituição lança a campanha “Porque transformar é a nossa essência”, reverenciando os empresários do comércio e mostrando os benefícios às pessoas atendidas por seus serviços e projetos.

Liderança na pandemia 

A ação dos 72 anos da Fecomércio vai também mostrar o trabalho da instituição, presente e atuante em meio à pandemia de COVID-19. Desde abril, os serviços de Sesc e Senac, assim como as orientações jurídicas, trabalhistas e econômicas da Federação, continuam a ser prestadas ao público e agrupados na plataforma Tudo em Casa Fecomércio.

Ao vivo pelo Instagram e Facebook, o Senac já transmitiu mais de 50 atividades ao público com lives sobre gestão dos negócios e tendências no novo cenário mundial, além de dicas para profissionais autônomos e de empreendedorismo.

Nas redes sociais do Sesc, um público de mais de 60 mil espectadores já acompanhou artistas que estão construindo o conteúdo dessa ação. Até agora e já foram produzidos 306 vídeos interativos.

Com shows online, o projeto Sintonia do Bem está arrecadando doações para o Programa Mesa Brasil Sesc, que já entregou 316 mil quilos de alimentos até 24 de abril. Uma nova ação solidária da Fecomércio chamada Costuras do Bem produziu mais de 32 mil máscaras para doação.

Serviços essenciais de alimentação e emergências odontológicas foram reiniciados no dia 22 de abril, quando o Restaurante Sesc Centro, o Projeto Sopa Amiga e a Clínica Odontológica foram reativados.

Diversos serviços educacionais migraram para o ambiente virtual. No dia 6 de maio, o Senac adaptou cursos de qualificação, aperfeiçoamentos, técnicos e aprendizagens em aulas online para cerca de 2.300 alunos.  A Rede Sesc de Ensino também passou a funcionar pela internet, beneficiando um total de 6.792 alunos.

Junto às lideranças do setor produtivo e ao Governo do Estado, a Federação do Comércio tomou assento no comitê de gestão da crise no Ceará e representa a classe empresarial, mostrando as graves perdas financeiras para os negócios locais e contribuindo com ideias e iniciativas para a retomada das atividades.

O monitoramento dos cenários para setor continua sendo realizado pelo Instituto com a realização de dezenas de pesquisas com empresários, consumidores e com economistas.

Histórico  

Em maio de 1945, representantes empresariais da indústria, comércio e agricultura, realizam em Teresópolis, a primeira Conferência das Classes Produtoras (CONCLAP). Nesse encontro elaboram uma proposta ousada de custeio dos serviços sociais e da educação profissional para os trabalhadores com recursos das classes patronais. A Carta da Paz Social foi o documento que formalizou as diretrizes para o desenvolvimento econômico com justiça social. Nascia assim, a partir da iniciativa do empresariado, o Sistema S, o maior Sistema de desenvolvimento social do mundo.

No Ceará, em 16 de março de 1948, o empresário Clóvis Arrais Maia fundou a Federação do Comércio com a finalidade de unir lideranças do setor para colaborarem com a educação profissional e a qualidade de vida dos trabalhadores. No mesmo ano, a Fecomércio implanta o Sesc e o Senac instituições mantidas pelos empresários do comércio que ofertam serviços sociais e educam para o comércio de bens, serviços e turismo. 

Linha do tempo Fecomércio 

2018- Colóquio Internacional Sesc UFC foi realizado, em fevereiro e debateu 

Inclusão Social e Diversidade na Educação com intercâmbio de experiências entre Brasil, França, Canadá, Itália e Suíça. Em maio, Maurício Filizola assume a presidência do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac com a licença de Luiz Gastão, eleito vice-presidente administrativo Confederação Nacional do Comércio. Em setembro, foi lançado o projeto inédito Museus Orgânicos, no qual Sesc e Fundação Casa Grande homenageiam os Mestres da Cultura. O Museu Orgânico Casa do Mestre Antônio Luiz em Potengi foi aberto em setembro, ao todo 16 serão ativados no Cariri 

 2019- Em fevereiro, Fecomércio apoia a participação do ex-aluno do Senac, o designer David Lee, no International Fashion Showcase, em Londres, e a exposição de obras do Mestre Espedito Seleiro e do livro Meu Coração Coroado (Editora Senac) na Embaixada Brasileira na capital britânica. Em maio, a Fecomércio realiza, pela primeira vez, o Congresso Nacional de Sindicatos Empresariais do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNSE). Em agosto, foi inaugurado em Fortaleza o Senac Reference, com a proposta de inovar a educação profissional no Ceará. O Sesc promove o I Seminário Internacional do Patrimônio da Chapada do Araripe, iniciando a campanha pelo reconhecimento da Unesco. Em julho acontece primeira Mostra Sesc de Culturas no Sertão Central e, em novembro, a vigésima edição da Mostra no Cariri.  Em março, a Fecomércio formaliza a criação da Câmara de Desenvolvimento e Inovação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará, agrupando o Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade, Conselho de Inovação e Pesquisa e o de Políticas Públicas e Tributação. Em outubro, é iniciado o Inovacom, um Hub do Comércio para estímulo à modernização dos serviços e das empresas cearenses. 

 2020- Em fevereiro é realizada a primeira edição do Congresso de Educação Sesc e Senac. Em março é decretado o isolamento social no Ceará para conter a pandemia do novo coronavírus, em abril é lançada a plataforma Tudo em Casa Fecomércio com conteúdo cultural e informativo e atividades online para o público. Fecomércio realiza convenção coletiva para garantir segurança jurídica aos empresários em questões trabalhistas durante a pandemia. Dia 20 de abril, o setor produtivo do Ceará lança manifesto ao Governo do Estado para planejar uma forma segura de retorno gradual das atividades empresariais. Em maio, o presidente Maurício Filizola anuncia a criação do banco digital, Banco Fecomércio; lança também plataforma de vendas Tá Fácil Comprar e Projeto Retomada, consultoria on line para empresários e empreendedores.

Nesse período, o Senac EAD ampliou sua atuação com a oferta de cursos mais curtos, alguns com aplicação prática. De março a abril, foram 60.000 vagas gratuitas nacionalmente, além da oferta de cupons de desconto.

O Programa Mesa Brasil Sesc, que há mais de 20 anos atua como banco de alimentos, buscando onde sobra e entregando onde falta, desponta exponencialmente como parceiro de associações, instituições e comunidades para diminuir o sofrimento das pessoas em vulnerabilidade social. 

Voltar